SER FELIZ É PROS CORAJOSOS

Ser feliz não é pra qualquer um. Ser feliz significa assumir que você chegou naquele estado que sempre desejou. Significa assumir que muitos dos problemas se foram e que agora não há mais razões para reclamar. Tem gente que não suporta essa ideia. Que não faz ideia do que fazer com a tal da felicidade. E por medo de ser feliz, passam a vida toda se sabotando.

A Felicidade na Estrada

 

Muitas vezes, o desejo é mais interessante que o processo final. Desejamos muito o carro novo, o dia da festa, a promoção. Mas quando alcançamos o que tanto queríamos, a duração do prazer geralmente é menor do que esperávamos, o que muitas vezes nos faz perceber que a trajetória foi mais divertida do que a chegada. Muitas pessoas vêem a felicidade dessa mesma forma. Acham que felicidade é uma coisa muito distante da realidade e ficam com medo de alcançá-la e não saber o que fazer com ela nas mãos.  Então, se sabotam. Enxergam o erro, a pedra no sapato que está tornando a trajetória rumo à felicidade muito mais dolorosa e longa, mas fingem não enxergar.

Outro dia, conversava com um amigo que se enfiou em uma relação visivelmente destrutiva. O seu passado com relacionamentos conturbados, o fez achar que o seu relacionamento atual era coisa rara de se ver. Achou que por estar com uma mulher fisicamente mais beneficiada que ele, não tinha direito de reclamar. Estava no lucro. No início, as coisas iam bem, na medida do possível. Sexo gostoso, companhia agradável, uma mulher bonita pra impressionar os amigos. Ele retribuía com paciência, carinho, amor e compreensão. Até que a moça foi mostrando seu lado negro conforme a intimidade crescia. Ela queria que ele comprasse um carro novo. Que trocasse de apartamento. Que parasse de fazer as coisas que gostava por causa dela. Qualquer motivo mínimo era motivo pra discussão – inclusive o canal de TV e bagunça no guarda-roupa dele. Ela manipulava e ele cedia. Até que um dia falei: “Cara, ela está empatando sua felicidade. Para de perder tempo, vai buscar que alguém que te acrescente invés de te diminuir.” E ele retrucou: “Essa história de felicidade é muito filosófica – a vida real não é assim.”

Utopia Feliz

Acredito que felicidade só seja utópica pra quem não acredita nela.

Seria hipocrisia dizer que sou feliz o tempo todo. Não sou. O ser humano tem seus altos e baixos. Tem dia dá vontade de parar de jogar, de pedir pra descer, de decretar falência – mas no dia seguinte, a gente recupera a ideia de que a vida é boa demais pra isso. Por isso acredito que a felicidade seja feita da soma de momentos felizes que acumulamos na vida. E ninguém pode acumular esses bons momentos pela gente. O trabalho é nosso – temos que a aprender a sermos felizes sozinhos. Temos que viver numa busca incansável desses bons momentos, por mais árdua que ela possa ser.

Alguns situações relamente fogem do nosso controle, como doenças ou fatalidades. Outras, estão completamente nas nossas mãos – basta saber o que queremos fazer com elas. Relacionamento com as pessoas é uma dessas coisas que podemos sim controlar, por mais que pareça difícil. Não podemos controlar as ações do outro – mas podemos escolher quem queremos trazer pro nosso lado. Temos que nos afastar das pessoas que sugam a nossa energia, que nos deixam pra baixo, que nos trazem sofrimento. Temos que trazer pro peito aquelas que acrescentam, que somam, que multiplicam as coisas boas da vida.

 

Aliás, o peito é um lugar no qual não se pode trazer todo mundo. Um dia ouvi uma coisa que faz todo sentido – quando você abraça alguém, os dois corações se aproximam. O abraço é o ato que mais permite que seu coração se aproxime do coração de outra pessoa. Nesse momento, eles batem junto. Por isso, é preciso ter cuidado ao selecionar aqueles que trazemos pra junto da gente. Aqui, o clichê do amor próprio é totalmente válido. Ninguém que te traz sofrimento constante merece ser trazido pro seu peito. Esse lugar tem que ser reservado pros especiais, pros selecionados, pros VIPs da sua vida. A entrada não pode ser liberada pra qualquer um.

 Escassez Não É Desculpa

Esse amigo ao qual me referi no texto, dizia que tinha medo de terminar seu relacionamento caótico por medo de ficar sozinho ou não encontrar alguém do mesmo nível. Se existissem 10 pessoas no mundo, até o entenderia. Mas o mundo tem até mais gente do que deveria ter, vivemos um momento de superlotação. Impossível que você seja a única pessoa legal do planeta. O mundo está cheio de gente querendo alguém pra somar felicidades – veja bem, somar, não dividir. Porque pra um relacionamento ser feliz de verdade, é preciso que os envolvidos sejam inteiros e não metades desesperadas pra encontrar alguém pra suprir suas faltas.

Pra saber se você está no caminho, pense no seu relacionamento e em quantos momentos bons e ruins ele te proporcionou. Faça uma lista se for necessário. Se os momentos de tensão, stress e discórdia forem mais numerosos do que os de alegria, de paz e de satisfação, provavelmente você está sabotando sua felicidade – e colaborando para que o outro sabote a dele também. Desapegue-se do que te faz mal. Escolha ser feliz. E então, quando você viver a sensação de felicidade muito mais presente no seu peito, você com certeza vai saber que valeu a pena.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s