AO MEU AMOR

Não existe amor que se possa medir, ele é para ser sentido e não mensurado.
Amor não fere, arranha, castiga, ou desmonta, o Amor cura, faz brilhar, perdoa e constrói. Amor incendeia sem fogo e enxágua sem água. Amor encandeia com um feixe e nunca faz cegar, mas faz mudar o impossível… Ah se faz…
O amor é música que nos faz cantar, é a melhor parte, é o refrão…
Amor é quietude é calmaria em meio a um turbilhão…
O amor tem cor e, não é o cinza
é o vermelho mesmo…
Vermelho sangue, vermelho coração.
O amor é de fato e não de costume
Não se costuma amar, apenas se ama e só.
Pontos finais…
O amor é verbo conjugado a dois,
Sempre a dois…
Amor é isso e nunca aquilo
Pois o amor é certo, é aqui, nunca ali
Distante…
O amor é um pedir de desligar as luzes, é um “vem pra cá ficar comigo”
É um segurar de mãos firmes
É um mesmo tom para duas respirações.
É ceder…
É buscar a própria felicidade na realização do outro.
É ter convicção do que se quer
E mais…
É correr atrás, sem desistir, sem lamentar é recomeçar sempre que precisar tendo fé e olhos no alto.
Amor, é nunca se sentir só…
E torna-se incrível por ser totalmente simples e gigante, por caber num coração…
E sua melhor definição é essa:
Amor só se compara a uma coisa…
Ao próprio amor.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s