TRANQUILAMENTE

Vai ser difícil. Aliás, muito. Se fosse por motivos pra desistir, nem precisaria pensar. Vamos cada um pro seu lado. Se for pra pensar nos motivos que ainda nos unem, nada será capaz de nos convencer do contrário. Somos estranhamente ligados por um destino que parece nos separar a cada besteirinha. Só por não sabermos aproveitar a oportunidade que ele nos deu de ficar juntos. A verdade é que o amor coloca uma pressão enorme em nossos ombros. Não somos mais apaixonados. Não somos mais no sentido de que passamos daquela fase boba em que se ri de tudo e há descobertas. Aquela paixão passageira. Aquela coisa de ter interesse até conseguir algo e depois perder a graça. A gente ainda descobre que temos um tanque enorme de amor pra queimar, mas, repara, eu já até sei que ficar longe de você é uma grande merda. Com o passar do tempo, vamos tendo chance de mostrar, para tudo e para todos, que nos gostamos de verdade. Duvido que esses outros casais nunca tenham brigado. Duvido que nunca tenham ido dormir de cabeça quente, que nunca tenham olhado pra outras pessoas. Isso tudo passa, e a gente se dá conta de que quem vale a pena mesmo é quem está do nosso lado. Espero saber o que fazer da minha vida. Espero que você também saiba o que fazer da sua. Entretanto, espero que saibamos o que fazer da nossa. A interseção onde nossos caminhos se encontram, que ocupa cada vez mais espaço em mim, me preocupa. Tomara que você não se importe quando eu te pressiono para falar de nós. Sei que eu também fujo de falar disso. Vamos combinar, DR é um saco. Eu desligo, você liga. Eu fecho a porta, você chuta. Eu vou atrás de você, você se esconde. Eu faço surpresa, você não gosta. Você me pede um beijo, eu viro o rosto. Você me conta um plano, eu rio. Eu conto um sonho, você ri. No meio dos nossos erros e defeitos, a gente se ama. Somos comuns. Mais um casal no meio da multidão. Então, vamos com calma. Devagar. Eu não tenho pressa mais pra nada. Já achei você, já tenho você, e agora o plano é te manter na minha vida. Talvez a gente aprenda junto, talvez não aprenda nada. Talvez a gente siga o mesmo caminho, talvez os caminhos se separem. Aí, talvez você volte, talvez eu te procure e não dê certo. Talvez eu seja tudo que você sonhou, talvez você acorde e descubra que não. Talvez você chore no meu ombro, talvez me cubra de insultos por um erro. Talvez nada disso, só um amor tranquilo. Talvez, quer dizer, com certeza a gente não sabe. Só sabemos que somos comuns. E que devemos levar nosso amor com calma.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s